Pages

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Panográficas


Depois de um tempo sem atualizações voltamos pra falar de uma experiência muito bacana pra vocês tentarem por ai.

Aposto que Todos já ouviram falar em fotografia panorâmica: aquelas imagens longas, com uma angulação bem maior que a de uma imagem normal. Mas quantos aqui sabem o que são as fotografias panográficas? É basicamente a mesma proposta, mostrar uma imagem num grande plano, a diferença é que as panográficas são várias fotografias, não uma única.

clica nas fotos pra ver maior.
Bem, numa câmera digital talvez isso não tenha tanta graça e só dê trabalho para montar, mas na vida analógica o lance é outro. Desde a primeira vez que vi um tutorial desta técnica quis tentar, mas de cara achei ele muito quadradão, vou misturar um pouco do que ele fala com o que eu achei legal na prática.

Vamos lá, pra começar se certifique que tem um filme livre ou com muitas poses sobrando. Depois escolha uma câmera com a qual você já tem certo domínio do enquadramento que ela proporciona na real. No meu caso terminei um Kodak Pro 100 que tinham muitas poses livres e depois troquei para um Lomography CN 100, ambos carregados na Smena 8M (não é a câmera mais indicada, mas era o que estava disponível.)

Procure agora um assunto para fotografar. Algo que seja interessante e grande, comprida o suficiente que não seja capaz de caber num só enquadramento. Isso tanto pode ser na vertical quanto na horizontal, o que for mais cômodo. Neste caso foi fácil, fui dar uma andada na orla aqui de Maceió, sempre tem assuntos de sobra por lá.

Pronto, agora com filme e câmera na mão, assunto escolhido, só nos resta clicar! Mas calma, tente seguir uma lógica nisso tudo, isso vai te ajudar a não esquecer nenhum pedaço da vista. Se o assunto é horizontal, comece da esquerda pra direita (ou vice e versa). Tente não mover MUITO a câmera pra cima e pra baixo, somente na horizontal. Também não tirei o olho do visor (apesar do visor da Smena não ser grande coisa, não deixa de ser um guia). Sempre de uma foto pra outra, tente enquadrar um pedaço da anterior na próxima. Depois de ter percorrido todo o campo, pense se vale à pena gastar mais filme pegando parte do céu ou chão, na montagem isso enriquece mais o todo.




Nas fotografias verticais os cuidados são basicamente os mesmos: ir sempre de uma direção à outra, sem grandes pulos (acho que o mais lógico é de cima para baixo), e depois avaliar se algo nas laterais vale o registro.

Depois de gastar todo o filme, revelar, jogar no PC, só resta montar. Bem, isso pode ser feito de várias maneiras, em vários programas. Particularmente usei o photoshop, mas outros editores de imagens também devem servir, ou programas de ilustração como Illustrator ou Corel Draw, ou editoração eletrônica como o In Design (também usei ele).

Aqui os cuidados são simples. Tente montar na ordem que você fotografou; depois que estiver tudo basicamente no seu lugar, vá alternando que foto esta na frente de qual e veja a composição que fica mais harmoniosa. No meu caso, como tirei muitas fotos, algumas até repetidas, ainda tinha que ver qual das duas ficava mais legal no conjunto.



No tutorial que vi, eles mandavam não mudar os ajustes de uma foto para outro na hora do clique e digitalizar as fotos todas nas mesmas configurações. Achei isso tão chato que fiz questão de modificar a abertura das fotos. Gostei do resultado heterogêneo, não parecendo que peguei uma foto só e parti e tantas outras. Não tentei, mas talvez algum efeito de sobreposição viesse a calhar e ficasse legal, quando eu tiver um tempo tento e posto aqui o resultado.

Só por curiosidade, vá sabendo que você vai “perder” muitas fotos. Para algumas dessas montagens, tirei 8 fotos e usei apenas 5, noutra cliquei 14 vezes e só usei 8 para formar a imagem. No caso, é muita vontade de experimentar. Eu gostei muito, além daquela velha ansiedade que todos têm na hora de pra pegar as fotos, ainda teve a ansiedade da montagem =D

Por último tentei em casa uma panográfica diferente. A dificuldade aqui foi o ajuste pro foco, em paisagens você ajusta ao infinito e tudo certo, aqui o calculo tem que ser mais preciso. Apesar de ter esquecido de fotografar um braço, gostei do resultado.


Espero que vocês tentem algo parecido e postem aqui nos comentários. E qualquer dúvida, detalhe que tenha esquecido de comentar, estamos aqui.

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...